Histórias quase estórias…Que Demonstração!!!

Galera, ouço esta história desde criança, sou sobrinho do Arjuna, um dos personagens do ocorrido.

Aconteceu em Novembro de 1970.

Foi combinada uma demonstração de pára-quedismo no Aeroclube de São Paulo (Campo de Marte) e três atletas compareceram. Como não havia um avião que pudesse levá-los juntos, resolveram saltar utilizando três aeronaves Paulistinha (Neiva P-56), uma para cada pára-quedista. Possuindo apenas um sonda (fita de papel que se joga do avião para calcular a direção e intensidade do vento), resolveram que Costa Filho, um dos participantes, lançaria o mesmo e os outros dois pára-quedistas, Fischer e Arjuna o observariam dos outros dois aviões. Como o tempo estava nublado, o plano não funcionou, mas resolveram saltar assim mesmo.
Costa Filho, que conseguira acompanhar toda a trajetória do sonda, fez o cálculo do ponto de saída do avião e saltou. Todos os três utilizavam pára-quedas redondos (paracommander), cuja dirigibilidade era bastante limitada se comparada aos pára-quedas retangulares de hoje.
Logo após saltar, Fisher descobriu que havia um forte vento cruzado que empurrava seu pára-quedas para outra direção. Depois de passar por vários obstáculos, avistou um campo de futebol e se dirigiu a ele. Era sua única alternativa e veio gritando como um desesperado para que os jogadores saissem de baixo para que pudesse fazer o pouso.O juiz teve que interromper o jogo, provocando uma grande confusão, pois era uma partida oficial que estava em andamento!
Enquanto Costa Filho aterrava no centro do alvo preparado no Aeroclube, garantindo o sucesso da demonstração, Arjuna ia atravessando a Avenida Marginal do rio Tietê, torres de alta-tensão, terrenos alagados, etc. Foi aí que viu uma construção que lhe pareceu ser uma fábrica, e resolveu pousar ali dentro. Logo após tocar o solo e ainda deitado pela rolagem que fizera para amortecer a queda, foi imediatamente abordado por dois guardas fortemente armados que lhe deram voz de prisão!
Muito adrenalado, descobriu então que tinha caído dentro da Penitenciária Estadual do Carandiru, na época, o maior presídio da América Latina !!!
Como não possuía nenhum documento de identidade ficou detido enquanto a equipe de resgate procurava desesperadamente pelo companheiro.
Após exaustivas conversações e com o apoio de alguns militares presentes à demonstração, Arjuna foi libertado para alívio geral.
Todos os três são ainda hoje saltadores e pessoas muito conhecidas no mundo do pára-quedismo.

Por: José Fideles
O nosso colega Fideles, é dono de um site onde tem muita coisa interessante e saudosista com relação ao paraquedismo, que pode ser acessado pelo link abaixo.

http://www.amigospqd.com.br/Historias
Vale a pena conferir pessoal…

Abraços
________________
Attizano
CBPq: 76.278 “C”

49699_100000373032725_8291_n[1]

 

 

 

 

 

Um comentário sobre “Histórias quase estórias…Que Demonstração!!!

  1. Attizano em

    Quem: Costa Filho, Fischer e Arjuna
    onde: Aeroclube de São Paulo (Campo de Marte)
    aeronaves: Paulistinha (Neiva P-56)
    tempo: Fechado
    pouso: indefinido (rrrsssssss)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.